Exercícios Auditivos

Depois da capacidade de concentração visual, vem a capacidade auditiva. Nesse caso, a força de auto-sugestão tem no início uma grande importância. Não se pode dizer diretamente: "Imagine o tic-tac de um relógio" ou algo assim, pois sob o conceito imaginação entende-se normalmente a representação de uma imagem, o que não pode ser dito para os exercícios de concentração auditiva.

Colocando essa idéia de um modo mais claro, podemos dizer: "Imagine estar ouvindo o tic-tac de um relógio". Para fins elucidativos, usaremos essa expressão, portanto, tente imaginar estar ouvindo o tic-tac de um relógio de parede. Inicialmente você só conseguirá fazê-lo por uns poucos segundos, mas com alguma persistência esse tempo irá melhorando gradativamente e as perturbações diminuirão.

Depois, você deverá tentar ouvir o tic-tac de um relógio de pulso ou de bolso, e ainda, o badalar de sinos nas mais diversas modulações. Faça outras experiências de concentração auditiva, como toque de gongo, pancadas de martelo e batidas em madeira, ruídos diversos, como um arranhão, arrastamento de pés, trovões, o barulho suave do vento soprando, e até o vento mais forte de um furacão, o murmúrio da água numa cachoeira, e ainda, a música de instrumentos como o violino e o piano.

Neste exercício o importante é concentrar-se só auditivamente e não permitir a interferência da imaginação plástica. Caso isso aconteça, a imagem deve ser imediatamente afastada; no badalar dos sinos, por exemplo, não deve aparecer a imagem dos sinos, e assim por diante. O exercício estará completo quando se conseguir fixar a imaginação auditiva por no mínimo cinco minutos.


Fontes: Extraído do Livro - O Diário de um Mago - Autor: Paulo coelho


Fonte: Origem Desconhecida.

Sem comentários

Você deve entrar para comentar.