Ankh ou Cruz Ansata

Etiquetas: Ankh, Cruz Ansata

Significado Geral: Vida, Fertilidade, Iniciação, Poder criativo, Reencarnação e Restauração.

Etimologia: (em pesquisa) Palavra egípcia para “vida”. No ocidente é conhecida como Cruz Ansata.

Descrição: Uma cruz que possui sua extremidade superior em forma de um arco circular.

Tempo e Espaço: É um milenar símbolo egípcio, usado por faraós, Sacerdotes e nobres dos mais diferentes lugares. Era usado em: sarcófagos, paredes, roupas, instrumentos e adornos. Tornou-se um símbolo muito utilizado e conhecido a partir da década de 70 com a criação dos movimentos New Age e passou a ser usado nos mais diferentes lugares do planeta.

Alquimia e Ocultismo: É um símbolo muito usado para representar o processo de caminhada do adepto até a iniciação. O caminho é marcado pelo equilíbrio e pela transformação obtida através da morte, onde o adepto é lapidado e retorna com uma nova vida. É um símbolo muito usado em ordens como a Maçonaria e a ROSA Cruz.

Tradições (neo)Pagãs: Todos aqueles que seguem o panteão egípcio trabalham com o Ankh. As linhas horizontal e vertical (Círculo/útero e Cruz/Falo) representam a energia feminina e masculina, que são diretamente relacionadas à Ísis e Osíris, os principais DEUSES Egípcios. Desta conexão têm-se a idéia de fertilidade e poder criativo, que era atribuído às cheias do Nilo.

Além disso, é possível interpretar o arco do topo da Ankh como sendo o movimento do Deus Sol Hórus, filho de Ísis e Osíris. Dessa trindade surge o significado voltado à restauração, vida, criação, fertilidade e reencarnação. Na WICCA é encarado como um símbolo da imortalidade e do fortalecimento gerado pela conexão com o divino.

Comparativos: É um símbolo muito utilizado pelos movimentos cristãos Gnósticos, sendo encarado como símbolo da ressurreição de Cristo. Dentro de outras correntes cristãs, principalmente as ligadas a Igreja católica, tal símbolo é mal visto, devido a sua direta ligação com deidades pagãs.

Curiosidades: No Brasil, o símbolo foi utilizado como emblema da “Sociedade Alternativa” criada por Raul Seixas e Paulo Coelho, e a partir de então se tornou muito conhecido por pessoas que tinham contato com esses personagens da música e da literatura brasileira.

Outras descrições:

Wikipédia (Português)

Spectrum (Português)


Fonte: Família do Old Religion.

Sem comentários

Você deve entrar para comentar.